São Pedro do Butiá,
Clique para mostrar acesso rápido aos portais ▼
NOTÍCIAS
MÍDIA / NOTÍCIAS
Publicado em 09/05/2018 16:31:44
por Elo Marister Schneider Steffens
Desmitificando a toxoplasmose
Visualizada por 156 pessoas.
A toxoplasmose é uma doença infecciosa, congênita ou adquirida, causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Este parasita pode infectar pássaros, roedores, animais silvestres e um número grande de mamíferos (bovinos, suínos, caprinos, ovinos), inclusive os seres humanos de todas as idades.
A toxoplasmose é intimamente ligada aos gatos e outros felídeos, pois somente eles são os hospedeiros definitivos do parasita, eliminando os ovos através das fezes e, consequentemente, contaminando o solo.
A toxoplasmose não é contagiosa e, na maioria das vezes, é adquirida pela ingestão de carnes cruas ou mal passadas de animais contaminados, ou pelo consumo de água, frutas e verduras cruas que abriguem os ovos do parasita.  O contágio pode ocorrer também pela manipulação de alimentos ou utensílios de cozinha (facas e tábuas, por exemplo) por ele contaminados.
A toxoplasmose pode ser transmitida da mãe para o feto durante a gestação através da placenta ou ainda, em porcentagem menor, pela transfusão de sangue e pelo transplante de órgãos, se os doadores estiverem infectados.
No caso das grávidas, se as mesmas nunca estiveram em contato com o parasita, ou possuem o sistema imunológico deprimido, correm o risco de abortar ou de que o bebê nasça com problemas congênitos. Se ela já tiver entrado contato com o parasita no passado, esse risco é praticamente inexistente, pois o seu corpo desenvolve anticorpos.
A toxoplasmose pode ser uma doença assintomática. Se o sistema imunológico estiver fortalecido, o parasita pode permanecer inativo por toda a vida, sem que ele sequer saiba que foi infectado. Alguns poucos, porém, podem apresentar sinais discretos da infecção semelhantes aos de um quadro viral comum, como dor no corpo e de cabeça, febre, cansaço e linfonodos inflamados.
No entanto, se o sistema de defesa estiver debilitado, a infecção pode espalhar-se pelo cérebro, coração, fígado, músculos, pulmões, olhos, ouvidos, etc. 
Nesses casos, merecem destaque os seguintes sintomas:
* Dor de cabeça, encefalite e dor de garganta;
* Manchas pelo corpo e linfonodos aumentados;
* Confusão mental, convulsões e dificuldade para enxergar e problemas de audição;
* Aumento do fígado e do baço;
* Moléstias pulmonares e cardíacas;
A prevenção é simples e se dá por não ingerir carnes cruas ou mal passadas e nem vegetais in natura, se não tiver a certeza de que foram higienizados convenientemente. Se for retirar a casca, é fundamental lavar o alimento primeiro;
Lave bem as mãos com água e sabão, depois de ter lidado com carnes cruas ou mal cozidas e vegetais, bem como, faça uma boa higienização dos utensílios de cozinha utilizados no preparo desses alimentos;
Quando for mexer no jardim ou em vasos com terra use sempre luvas e evite o contato com as fezes de gatos ou de outros felinos, já em áreas de recreação evite que as crianças brinquem em tanques de areia que permanecem ao ar livre, pois, podem abrigar resíduos de fezes de animais infectados;
Conviver com gatos não aumenta necessariamente o risco de infecção, que é baixo. Vacine seu animal, troque as caixas de areia diariamente e se possível, deem somente ração para ele, evitando que ele sai à caça e se alimente de animais infectados.
Para as gestantes, é de suma importância que não descuidem do acompanhamento pré-natal, durante a gravidez e o parto. O ideal é que o casal procure o médico assim que decide ter um filho. Toxoplasmose é uma enfermidade grave durante a gestação.
"A probabilidade de se contrair toxoplasmose é maior comendo carne mal cozida do que tendo um gato em casa".
Fonte: Dr. Drauzio Varella
 
Patricia Scher
VISA MUNICIPAL

Secretaria Municipal da Agricultura
São Pedro do Butiá
DISIPOA- Méd. Vet. Ademir Garcia